segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Será que vivemos em Portugal

Nos últimos dias tenho sentido muitas dúvidas se ainda estou a viver em Portugal. Por um lado há um primeiro-ministro que é acusado das maiores sacanices que se podem fazer em democracia. Não as vou enumerar, são tantas. Depois temos um Presidente da Républica que diz estar atento, mas nada anuncia, até porque está em causa a imagem do país para o estrangeiro, nomeadamente para os mercados e investidores. Depois temos o maior partido da oposição sem liderança, há espera que os lobbies se entendem para encontrar uma alternativa dentro do "sistema".
Bom, então temos um país adiado.
Primeiro: o primeiro-ministro é useiro e veseiro em se colocar em trapalhadas e jogos escuros que colocam em causa a democracia e o bom nome de Portugal.
Segundo: Senhor Presidente, pergunto, há pior imagem do que aquela que neste momento estamos a passar para os investidores, os mercados e a UE? Diga a toda a gente que afinal não estamos longe da Grécia e que só estamos à espera de que se cumpra a lei e o tempo obrigatório pela Constituição para demitir o governo. Ficamos todos mais descansados.
Aos sociais democratas peço que se deixem de jogos de poder internos, o que está em causa é o futuro do país. Há um candidato assumido, neste momento difícil unam-se em torno dele e avancem com uma alternativa de governação para Portugal.
Só para terminar, até porque não é este os temas que se devem tratar neste blog, mas está em causa o futuro de todos nós, e acreditem que não estou a ser pessimista, gostava de perguntar ao primeiro-ministro: será que os jornalistas estão loucos e os jornais só querem vender papel? Tantas são as caldeiradas de que está acusado mais os seus amigos, que pelo menos uma deve ser verdade. Assuma pelo menos uma, podia ser que ficássemos contentes.

1 comentário:

João Silva disse...

A solução para esta situação, passa pelo Benfica ser campeão!!!

Um abraço e felicidades para o Blog.